quinta-feira, 9 de julho de 2009

A impermanência das coisas

Ser escorpiano não é tarefa pra qualquer um. Muito menos pra quem não entende patavinas de astrologia e dessas coisas new age, como eu.

Somos tachados sumariamente de vingativos, tempestuosos, rancorosos e mais uma infindável série de atributos dos quais até Lúcifer se esquivaria com receio. Até provarmos que sapo não é jacaré, o interlocutor já saiu correndo quando mal terminamos de balbuciar as primeiras letras da resposta à fatídica questão: "Qual é o teu signo?" E se passa um táxi por perto nesse instante, pode apostar que o fugitivo sai cantando aquela canção chicletífica da Angélica como fosse o derradeiro mantra de salvação! Raramente ouço alguém ressaltando (digo voluntariamente, e não por temor) a lancinante lealdade de um escorpiano, tampouco sua visceral lascívia, características tão apreciadas nos momentos de dor e/ou prazer.

Não digo que a má fama é injusta porque não conheço todos os membros desse clube tão distinto e tão precipitadamente temido. Além do mais, é como dizem: "onde há fumaça, há fogo..."

O que fazer quando, por anos a fio, você se esforçou para nunca ser o que pintam do seu signo e, ainda assim, o estigma perdura, a despeito dos hercúleos esforços dispendidos à toa? Correr? Mentir ("Sou de Peixes!" — Todo mundo adora peixes...)? Apelar pro direito de manter silêncio sobre questões astrológicas? Afirmar desconhecer a data de seu nascimento?

Tanto faz. Fugir das (ou fazer-se indiferente às) reações é insignificante diante da questão que urge no revés: o que fazer quando você tem uma recaída e sofre de uma vez só toda a escorpionice que represou por anos pelo bem da nação?
Chorar? Lamento, resposta errada. Pra isso seria preciso sentir algo um tanto mais sutil do que aquilo que tão perfidamente caracteriza o escorpiano entre as boas e más línguas. Foi-se meu tempo de ostentar sutilezas no coração.

Coração... Outro problema prum escorpiano. Quando trabalha, trabalha demais. Pulsa como se não houvesse amanhã e sente tudo que pode, até os sentimentos que não lhe pertencem. Quando esfria, porém, petrifica-se. Um pequeno fragmento de rocha fria ocupando o espaço de um punho cerrado no peito. Não sente mais nada, nem a ira que o mantinha vivo nos momentos ruins (e creiam-me: diante do vazio que certas perdas ou frustrações podem ocasionar, a fúria, ladeada pelo ódio e pela raiva — seus eternos arautos —, torna-se um bálsamo, uma vazão de oxigênio para um infeliz que se afoga, o fio que ainda o liga à gana de permanecer aqui...). Só ocupa espaço. Evidente que isso só se dará depois de uns tantos arroubos de fúria vulcânica, como rezam os cânones. Afinal, estamos falando de escorpianos...

Rege a roda, então, a impermanência: depois que esfria a gema, o portador é tomado por uma paz sem igual. Impera uma calma lapidar, nada mais o preocupa. Nada o atinge, nada o desloca de seu ponto de equilíbrio. Rege novamente, a dita: vem a vida, saltitando como um coelho histérico e neurótico, e o atinge em cheio com uma boa surpresa — aparentemente mais um episódio como qualquer outro que, no entanto, vai tornando-se a cada segundo mais interessante, mais intenso, mais sedutor... Até que num determinado instante constata-se que a rocha já não é tão fria.

Movimento. Um pulso. Outro. Muitos, aos cântaros, irrompendo como mil lagartos que já não mais suportam a segurança claustrofóbica de seus ovos. Nada é moderado quando esse vulcão adormecido começa a dar sinais de atividade. Calor. Em diante, a Queda. Porque abandonar a paz que a muito custo se conquistou é tão fatal quanto inevitável; as conseqüencias idem. Não fossem tão previsíveis, talvez o atordoamento da surpresa amenizasse os danos, mas vê-las chegando desde longe, tão velozes e famintas quanto potencialmente devastadoras, só acentua o amargo.

Um escorpiano que deseja ter paz deve manter sua rocha bem guardada, longe do calor. A entrada cerrada a sete selos. Um leão, um touro, um homem e uma águia guardando cada artéria, até ter certeza de que a chama que lhe assedia não é fogo-fátuo. Caso contrário, vai acabar escrevendo baboseiras sem o menor interesse sobre seu signo num blog ou em algum espaço que o valha. E convenhamos: isso é ridículo!*

"Olá, tudo bem? Meu nome é Fellipe e eu sou de Peixes!"
Só estou treinando...


* Mas é ÓBVIO que eu vou postar assim mesmo. Obstinação, sabem? Outra coisa de que não se fala num escorpiano...

12 comentários:

Anônimo disse...

Adorei!!! Somos o signo mais injustiçado do sistema solar!
No trabalho ninguem acredita q sou escorpiana: "mas vc parece ser tão legal! - Vc deve ter o ascendente forte"
Alguns nos chamam de bipolar. De depressivos, melancólicos. Mas animamos uma festa mais que o Bozo.
Ao mesmo tempo q escondo meu signo tenho orgulho dele. Sou contraditória e extremista, mas acho q ainda sou uma ótima pessoa.

Camila Marin

mayra. disse...

Como típica libriana que sou (basicamente indecisa. hahaha), digo que escorpianos podem ser excelentes companhias. E o inferno na Terra, quando querem. Mas isso qualquer um pode ser (mesmo librianos indecisos e metidos a justos).


O que eu gosto mesmo é quando você escreve.

Lê " ) disse...

Eu nem acreditava nessa para de signo ateh que um dia percebi que as duas garotas que amei na vida faziam aniiversario uma dia 27 e outra dia 28 de fevereiro , siniiiiistro neh
huashuhuashuashusahuashuuhashuasuhasa
Vamos ver o seu por um lado bom
Por tudo que vc escreveu ai escorpiao tem todas as caracteristicas de quem vai ficar rico, obstinacao, trabalhar como se nao houvesse amanha etc
O que tem de ruim vc fala que eh de peixes ahaha'
Eu nem manjo desses baguio, sou touro seja lah o que isso signifique hah'a
Escreve mais bro
Aquele abraco do LE

Bowler Hat Strange Guy disse...

Escorpiano? Imagina! Sou pisciano desde menininho! Hahahahahaha

Giuliana O. Santana disse...

Esse é um daqueles "Texto longo, que vale a pena ser lido até o último ponto". Adorei.
Minha vida é completamente cercada de escorpianos, e eu acho que meu signo tem boa compatibilidade com Escorpião, porque esses esquentadinhos são grande parte das pessoas mais importantes do mundo pra mim.

Obrigada pela atenção e elogios lá no Saumench, de verdade. :)
beijos
;*

Edson Junior disse...

Câncer aqui :-)

Lulleka disse...

Ahhhh vc postou! Que ótimo texto!
Mudou um pouco meu conceito que escorpião é o pior signo do zodíaco.
Agora ele é o que mais me assusta! Rs...

Bjooos Fe!

Guta Nascimento disse...

[e eu que sou do dia 25! primeiro decanato! é quando o povo diz, "iiih", "noooossa"]

Guta Nascimento disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eve disse...

De uma aquariana para um escorpiano, toma ae mais uma definição que denigre teu signo: http://www.revistaandros.com.br/escorpiao.html
Não sei se vai te cair bem, pro meu signo a descrição é perfeita!

Dri Viaro disse...

Olá, passei pra conhecer o blog, e desejar bom fds
bjsss

aguardo sua visita :)

DirtyBoy disse...

olá! Meu nome é Wladimir e eu sou de Peixes com ascendente em Peixes; devo dizer que não sou exatamente um amor de pessoa mas a boa fama do meu signo me permite camuflar sutis maldades....
gostei do seu blog, aguardo sua visita ao meu!
=D